Almada | Concerto de Ano Novo

Celebrar a Dança com a Orquestra Clássica do Sul, dia 3 de Janeiro às 21h no Teatro Municipal Joaquim Benite

O Teatro Municipal Joaquim Benite (TMJB) acolhe Terça-Feira, 3 de Janeiro, a Orquestra Clássica do Sul (OCS) para um concerto do Ano Novo em forma de tributo à Dança. A orquestra algarvia actua na Sala Principal a partir das 21h horas, num concerto de uma hora com danças do mundo que celebram o início de 2023, porque dançar é, desde sempre para a civilização humana, uma forma de celebrar e unir a comunidade.

Este concerto parte à descoberta de várias danças do mundo, tão diferentes entre si e tão fascinantes na sua variedade. Haverá lugar para a mais famosa valsa de todos os tempos, que evoca a presença do azul rio Danúbio, mas também para incursões por outras latitudes como o chorinho ou o lundu do Brasil, as czárdas da Hungria, as danças rápidas da Roménia, o colorido da dança em Espanha, o frenesim da França fin-de-siècle ou a melancolia de uma valsa russa, segundo a direcção e apresentação do maestro Tiago Oliveira.

São doze as badaladas que marcam o novo ano, e doze os desejos que formulamos entre passas e brindes, para cada mês que há-de vir. São também doze as Danças do Mundo que a OCS escolheu especialmente para esta actuação.

A Orquestra Clássica do Sul nasceu do desejo de criação de uma orquestra regional de música erudita no Algarve e,ad união de vontades de diversas personalidades ligadas à cultura, que concretizaram a missão de trazer à região Sul uma programação de elevada qualidade artística. Fundada em 2002, tornou-se Orquestra Clássica do Sul em Setembro de 2013, tendo Cesário Costa como Maestro Titular e Director Artístico. Nessa altura, a OCS assumiu novos desafios e alargou o seu território de acção, passando igualmente a abranger as regiões do Alentejo, Península de Setúbal e Andaluzia. A programação apresentada a cada temporada integra obras que vão desde o barroco ao contemporâneo, proporcionando espectáculos distintos entre si, que procuram dar a conhecer a amplitude e a versatilidade da música clássica. A partir de Janeiro de 2023, a OCS passou a contar com Martim Sousa Tavares como Maestro Titular.

Programa:
Danças Húngaras n.º 5, 6 e 7 Johannes Brahms
Danças populares romenas Bela Bartók
Odeon Ernesto Nazareth
Dois Lundus Ernani Aguiar
Danza del Fuego Manuel de Falla
Galop Infernal Jacques Offenbach
Czárdas (solista: Zachary Spontak) Vittorio Monti
Valsa n.º 2 da Jazz Suite Dmitri Shostakovich
Danúbio Azul / Marcha Radétzky Johann Strauss

Director musical: Tiago Oliveira
Director artístico: Cesário Costa
Maestro Titular : Martim Sousa Tavares

Duração: 65min. | M/6

Comprar Bilhete


, , , , , , , , ,

Sofia Quintas

Directora e jornalista do Almada Online