Almada | Mangrove segundo álbum de E.se

Carlos Alves assume-se como o músico e compositor independente por detrás de E.se

E.se editou no dia 6 o seu segundo longa-duração, Mangrove. Assumido como um disco de resistência e fruto da vontade de fazer música independente, o título deste novo trabalho de Carlos Alves, músico e compositor de Almada, é inspirado nas árvores de mangal que estabelecem raízes num meio inóspito e crescem onde menos se espera.

Na sua conta de Instagram escreveu “celebro poder continuar por cá e a fazer música independente. Sem selos, sem patrocínios, fruto do sonho e enraizado na minha vontade de ser compreendido.” E sobre Mangrove e o seu processo de criação diz ser “algo que é íntimo e fundo e, que foi construído num ano de fragmentação, durante um processo de juntar peças, talvez numa ordem diferente, para me encontrar e conhecer-me melhor. 
Sei que provavelmente estas peças serão desmontadas mais vezes, mas estou em paz com isso e sei que poderei contar com a criatividade para me ajudar a colá-las de novo, sempre diferentes, mas sempre minhas.”

No sucessor de Serotonina (2021), E.se exibe a sua versatilidade enquanto artista emergente da música nacional, capaz de compor um álbum com 12 temas onde o rap encapsula na sua essência influências jazz, R&B e electrónicas. Produtores nacionais como AZAR AZARNED FLANGERJohnny VirtusFranklin Beats e PEDRA fazem parte dos créditos de Mangrove, tal como Samuel Silva (Expensive Soul e Marta Ren) nos arranjos de saxofone adicionais, e ainda as participaçãoes vocais de Maze (Dealema), João Tamura, Auge, Silly e Luca Argel.

O primeiro avanço do disco foi “Reflexos, surf e tantas outras coisas” (prod. AZAR AZAR), seguindo-se “Rosas” feat. João Tamura (prod. NED FLANGER) e mais recentemente, saiu o single “Estranha Forma de Vida” feat. Silly e Luca Argel (prod. Franklin Beats).

, , , , , , , ,

Sofia Quintas

Directora e jornalista do Almada Online