Almada | Mau tempo faz 16 desalojados

Segundo o CDOS, as duas situações mais graves no distrito de Setúbal aconteceram na Costa da Caparica e na freguesia do Laranjeiro e Feijó

Em declarações à agência Lusa, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal, explicou hoje que as ocorrências devido à chuva forte que atingiu o distrito começaram “por volta das 21:00” de Quarta-Feira e duraram, sobretudo, “até às 03:00 ou 04:00 desta madrugada”, estando “a situação mais calma agora”.

A maioria das situações registadas pela Proteção Civil foram “inundações na via pública, em algumas habitações e carros, quedas de árvores, de estruturas e limpezas de vias”, disse a mesma fonte

No entanto “as duas situações mais graves do distrito aconteceram no concelho de Almada, uma na Costa da Caparica e outra na freguesia de Laranjeiro e Feijó”, segundo o CDOS.

“Na Costa da Caparica, houve necessidade de resgatar seis pessoas de uma casa que estava a ser inundada”, enquanto, na outra freguesia, “foi preciso retirar temporariamente 10 pessoas de uma vivenda”, também devido a inundação, precisou a fonte.

Estas 16 pessoas “foram deslocadas temporariamente para outros locais, a cargo da Proteção Civil Municipal de Almada, e, quando a situação estiver resolvida, ou seja, quando as casas já não tiverem água e forem limpas, já poderão voltar às residências”, explicou a fonte do CDOS, frisando que não houve qualquer ferido.

No distrito de Setúbal, foram também resgatadas “47 pessoas de veículos automóveis que estavam a ser arrastados ou começavam a ficar submersos”.

Segundo fonte do IPMA, o distrito de Setúbal volta a entrar em alerta laranja a partir das 00h de Sexta-Feira e assim irá permanecer durante todo o dia na Sexta-Feira. A mesma fonte esclarece que o alerta laranja significa Situação meteorológica de risco moderado a elevado. A população deve manter-se ao corrente da evolução das condições meteorológicas e seguir as orientações da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANEPC).

O Serviço Municipal da Proteção Civil (SMPC) de Almada colocou online um documento que pode ser lido aqui.

As ocorrências relacionadas com o mau tempo, até às 09:00 desta Quinta-Feira, “foram um pouco generalizadas por todo o distrito, mas houve concelhos só com meia dúzia de ocorrências, tendo Setúbal, Palmela e Seixal concentrado a maioria das situações”, frisou o CDOS.

A ANEPC revelou hoje que, em território nacional, mais de uma centena de pessoas teve que abandonar temporariamente as suas habitações, na sequência das fortes chuvas que na Quarta-Feira atingiram sobretudo os distritos de Lisboa e Setúbal. O comandante de operações José Miranda disse à Lusa que desde o início do alerta – 00:00 de dia 7 até às 07:00 de hoje – foram registadas 849 ocorrências. “Destas, 71% ocorreram no distrito de Lisboa e 11% no distrito de Setúbal, sendo que 80% – 673 ocorrências – se devem a inundações”, explicou.

Na noite de Quarta-Feira em Algés, concelho de Oeiras (Lisboa), uma mulher, de 75 anos, morreu, devido a uma inundação na sua habitação provocada pelas chuvas fortes.

Os 18 distritos de Portugal Continental encontram-se hoje sob aviso amarelo, devido à previsão de chuva por vezes forte, podendo ser acompanhada de trovoada e de rajadas fortes de vento. Também os arquipélagos dos Açores e da Madeira estão sob aviso amarelo devido sobretudo à agitação marítima e ao vento forte. O aviso amarelo corresponde a uma “situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica”.

, , , , , , , , ,

Sofia Quintas

Directora e jornalista do Almada Online

Um pensamento em “Almada | Mau tempo faz 16 desalojados

Comentários estão fechados.