Almada | Regresso ao pó

Um filme de Li Ruijun, que pode ser visto no Auditório Fernando Lopes-Graça, dia 22 de Fevereiro às 21h

A cena passa-se em 2011, na província rural de Gansu no Noroeste da China, onde o casamento arranjado ainda é costume comum e a vida se define pelos deveres do trabalho e pouco mais. Ma Youtie (Wu Renlin, um não actor, residente local e tio de Li Ruijun) e Cao Guiying (Hai-Qing, a única actriz profissional do filme) vivem numa pequena aldeia chinesa. Sendo ambos pobres e solteiros, as duas famílias combinam o seu casamento. Esta é uma união de conveniência, uma vez que ele é o último da família por casar e ela é deficiente, infértil e, por isso, considerada pouco desejável. Este arranjo poderia tornar as suas vidas ainda mais difíceis. Contudo, compreendendo o lugar um do outro e a rejeição a que sempre foram sujeitos, Ma e Cao aproveitam a oportunidade para mudar o seu destino. E entre eles surge um amor terno e sereno, que lhes vai proporcionar uma felicidade inesperada.

Esta é uma história sobre as dificuldades da vida rural na China, mas também sobre o enorme contentamento encontrado nas coisas simples da vida. Ma Youtie e Cao Guiying irão erguer um futuro cujos pilares assentam na Terra com T grande, a Mãe Terra, conceito que existe disseminado por muitas e diversas culturas, o culto ancestral da fonte da vida que nos retribui e multiplica o que semeamos

Filmado na região natal do realizador Li Ruijun, Gaotai, maioritariamente em décors naturais e recorrendo quase por inteiro a actores não-profissionais (familiares e amigos do realizador), Regresso ao Pó é exemplar do que pode ser uma actualização contemporânea do neo-realismo, acompanhando o quotidiano de um casamento rural numa das zonas mais pobres e despovoadas da China contemporânea.

Tecnicamente filmado com uma rigorosa solenidade, ao sabor dos diversos ciclos da natureza, em bucólicos cenários naturais e dotado de uma fotografia rica em cores fortes, revela-se quase um poema visual.

O filme que critica de forma agridoce (o que mesmo assim não impediu que o regime proibisse a sua exibição no país e, até a menção do seu título é proibida nas redes sociais chinesas) a politica de realojamento forçado dos camponeses, sem atender às suas necessidades e estilo de vida, com a consequente demolição das habitações rudimentares que detinham nos seus terrenos agricolas, encaminhado-os para grandes subúrbios, com o objectivo de erradicar a visibilidade da pobreza. 

Estreado na Berlinale onde competiu pelo Urso de Ouro e, antestreia nacional no 16º Lisbon & Sintra Film Festival, onde recebeu o Prémio do Júri João Bénard da Costa.

©DR / Ma e Cao aproveitam a oportunidade para mudar o seu destino

Ficha Técnica:

Realização: Li RuijunArgumento: Ruijun Li
Elenco: Wu Renlin, Hai Qing, Yang Guangrui
Director de fotografia: Wang Weihua
Som:
Duração: 131 minutos
Género: Drama
Ano: 2022
Origem: China
Idade: M/14

Preço: 3,00€ | Desconto de 50% para jovens e seniores

Bilheteira Online

Contacto da Bilheteira do AFLG
Tel.: 212 724 922 auditorio@cm-almada.pt
Quarta a Sexta, das 14h30 às 18h00
Sábado das 15h00 às 18h00
1 hora antes do espetáculo

, , , , , ,

Sofia Quintas

Directora e jornalista do Almada Online