Almada | Visita guiada ao Chão das Artes – Jardim Botânico 

Dia 4 de Setembro, às 15h, na Casa da Cerca

Dia 4 de Setembro às 15h vai realizar-se uma visita guiada ao Jardim Botânico da Casa da Cerca orientada por Filipa Albino. Esta visita apresenta O Chão das Artes – Jardim Botânico.

Antes de ser um Centro de Arte Contemporânea com um Jardim Botânico, a Casa da Cerca foi uma antiga quinta de recreio, habitada por pessoas muito diferentes ao longo dos séculos. Foi símbolo de poder, local de vigilância sobre o Tejo, lugar de refúgio, de veraneio, de encanto e de contemplação. Ainda há quem a recorde como um palácio fechado e em ruína, alvo de assustadoras histórias que foram crescendo na imaginação popular até à sua abertura ao público em 1993.

Com a sua abertura, surge a necessidade de repensar o seu espaço envolvente e de dar um novo uso ao terreno. À data da aquisição da propriedade pela Câmara Municipal de Almada (CMA), era um espaço de cultivo descaraterizado, coberto de ervas e flores e, pontuado por algumas árvores de fruto. Este espaço recebe em 1997 um dragoeiro centenário que vem marcar fortemente o seu futuro. Nessa altura surge a ideia de fazer um jardim diferente, com um conceito temático especial, onde a arte se torna fonte motivadora do projecto. Tem uma abordagem às artes plásticas para além do produto final, concentrando-se na origem dos materiais utilizados nas práticas artísticas. Neste contexto O Chão das Artes – Jardim Botânico apresenta-se como pioneiro, na especificidade da articulação destas duas vertentes – científica e artística.

O Jardim, com cerca de 0,5 hectares, abriu ao público a 9 de Junho de 2001 após três anos e meio de trabalho. O Chão das Artes – Jardim Botânico assume a Arte como protagonista e fonte inspiradora e, tem como missão explorar a interligação entre a Arte e a Ciência, investigando e divulgando a sua coleção de plantas cujos componentes são matéria-prima para o fabrico de materiais utilizados nas artes plásticas.

Foram efetuados planos de plantação, implantados em 2001. Em 2011 foram revistos e, optou-se por incorporar espécies utilizadas tradicionalmente nas receitas de tinturaria, duplicando-se a lista de plantas existentes.

Em 2021, o Jardim possuía uma coleçcão de mais de duas centenas de espécies que vão sendo mantidas, valorizadas, estudadas e exploradas do ponto de vista dos materiais que as plantas podem oferecer. O Jardim está dividido em áreas estruturantes: Estufa; Jardim dos Pigmentos; Pomar das Gomas; Jardim dos Pintores; Charca,; Jardim dos Óleos; Jardim das Fibras e Mata

A visão d’O Chão das Artes- Jardim Botânico é dar a conhecer a maior parte das plantas que, em todo o Mundo, mas em especial na Europa, têm sido utilizadas, ao longo da História da Arte, para fornecer matérias-primas para a práctica artística.

Pretende-se mostrá-las directamente no Jardim Botânico, como material vivo, mas também oferecer informação complementar que permita conhecer cada espécie aprofundada e transversalmente nas áreas da botânica, horticultura, etnobotânica, artes plásticas, história da arte e história dos jardins, entre outras.

Assim, como em qualquer jardim, a vegetação é o principal protagonista, adquirindo aqui um sentido acrescido, não só pelo carácter didátcico-científico de Jardim Botânico, com a identificação e classificação das espécies, mas pela seleção feita em função do tema aqui abordado.

Das 15h às 16h 

Destinatários: todos, a partir dos 6 anos 

Requer inscrição prévia para o mail marcar.cac@cma.m-almada.pt

, , , ,

Sofia Quintas

Directora e jornalista do Almada Online