Caparica Surf Fest 2023 – Tudo se decide nas ondas do Paraíso

O Caparica Surf Fest (CSF) regressa às ondas da Costa da Caparica, de 3 a 8 de abril de 2023 e traz consigo os melhores surfistas da Europa

O Caparica Surf Fest (CSF) regressa às ondas da Costa da Caparica, de 3 a 8 de abril de 2023 e traz consigo os melhores surfistas europeus A Praia do Paraíso recebe o último evento da série de qualificação na Europa para a temporada 2022-23, na corrida à Challenger Series (CS). As grandes manobras dos melhores surfistas europeus podem ser vistas nas ondas da Costa da Caparica durante esta semana.

Além desta ser uma etapa que assume uma extrema relevância para as contas do Challenger Series, é ainda um verdadeiro festival com uma série de eventos paralelos, desde aulas de surf grátis, aulas de Pilates e música ao pôr do sol com os Estrella Galicia Sunset. Terá também a um espaço dedicado ao skate, o Moche Impact Zone, com uma competição de skate e aulas para todos os visitantes,

Nesta etapa bastante importante para a World Surf League (WSL), onde os melhores surfistas europeus procuram um lugar na fase que se segue. No masculino será uma etapa WQS 3000, em que apenas o top 7, mais um wild-card, se qualificam. No feminino terá lugar na Caparica um WQS 1000, em que o top 4 – liderado pela recém-coroada campeã europeia, Yolanda Hopkins, outro wild-card, vão estar presentes nos Challenger Series.

Frederico Teixeira, Event Manager da WSL em Portugal, refere que “a Costa de Caparica vem-se afirmando, desde há uns anos, no calendário internacional. O WSL É um projecto que passou por algumas dificuldades devido à pandemia, mas sabemos que este será o ano de confirmação deste evento. É talvez o projecto que tem mais potencial e mais margem de crescimento”.  Revelou ainda que “há muitas ideias para o futuro para o evento crescer, também muito devido aos eventos paralelos, e às dinâmicas que se criam por cá. É um evento que nunca viveu sozinho, tem música, tem skate. Naquilo que é o nosso objectivo, além da valorização dos atletas, queremos demonstrar que a Caparica é talvez o surf spot de Portugal mais democrático de todos.”

O Caparica Surf Fest 2023 conta ainda com mais uma novidade: o primeiro evento do Legasea Tour, uma competição de surf com um formato inovador e organizada pelo surfista português Frederico Morais, nos dias 7 e 8 de abril. Este é um projecto que visa ajudar jovens atletas sub-14 a começarem uma carreira sólida no mundo do surf. 

“Foi a forma que encontrei para dar algo de volta ao surf, tentando inspirar os mais novos a tornarem-se surfistas profissionais. Tive em tempos uma escola de surf, e todo esse contacto com os miúdos deixou-me com vontade de fazer mais. O Legasea é tentar passar uma mensagem, tentar incluir cada vez mais os pais, para perceberem o apoio que é preciso. Temos inscrições ainda abertas, mas acho que vamos ter a praia cheia. Não vou só ensinar, vou aprender muito com eles. E estou ansioso por este projecto”, explicou Kikas.

Para além de Frederico Morais, a recém-coroada campeã europeia Yolanda Hopkins Sequeira e a campeã mundial júnior, Francisca Veselko, estão nos Challenger Series. O actual campeão nacional português, Guilherme Ribeiro acredita ser possível lá chegar e está disposto para dar tudo, visto que é matematicamente possível.

Guilherme Ribeiro acredita que este pode ser mesmo o seu ano. “A Costa nunca desilude, e este ano o forecast parece o melhor de sempre. Ondas boas e tempo bom. Em relação ao ano passado, mudou muito. Cresci, estou noutra posição do ranking”, e acrescentou: “Já mostrei que é possível lá chegar. Estou à porta de lá chegar e estou pronto para dar tudo nesta etapa em casa. É o tudo ou nada. É matematicamente possível chegar aos Challenger”, afirmou o surfista da Costa de Caparica.

Para o vereador do Desporto da Câmara Municipal de Almada (CMA), Filipe Pacheco, este é um evento que só traz vantagens para o concelho. “É uma mais valia do ponto de vista de retorno para a nível económico e turístico. A autarquia tem um projecto há alguns anos que se chama ‘Costa todo o ano’, que visa quebrar a sazonalidade da Costa de Caparica, e numa altura de época baixa, o que queremos é continuar a convidar de forma permanente todas as pessoas de fora, a que venham á Caparica ver bom surf que fiquem por aqui e aproveitem as nossas praias, restauração e alojamento”, explicou o responsável. Mas a etapa da Caparica é também essencial para o concelho do ponto de vista desportivo. “É muito importante rodearmo-nos de grandes atletas. Precisamos de eventos âncora para desenvolver modalidades cruciais e uma delas é o surf”, referiu ainda.

Pode ver todos os resultados da prova aqui, e o calendário de actividades extra prova aqui e também aqui.

, , , , , , , , , , , ,

Sofia Quintas

Directora e jornalista do Almada Online