Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Entre 18 e 21 de Abril há iniciativas um pouco por todo o concelho.

Um pouco ofuscado este ano pelas comemorações do meio século do 25 de Abril, o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (DIMS) celebra-se a 18 de Abril. “Catástrofes e Conflitos à luz da Carta de Veneza” é o tema proposto pelo International Council of Monuments and Sites (ICOMOS) para este ano. Almada associa-se a esta data, com iniciativas que decorrem de 18 a 21 de Abril. Todos os eventos são gratuitos mas necessitam de inscrição prévia..

Visitas guiadas ao património do concelho, apontamentos musicais e oficinas para a infância fazem parte da programação municipal que assinala esta data: ao Monumento à Liberdade, de Jorge Vieira (dia 18); ao Castelo de Almada (18); Paços do Concelho (20); Almada Velha (20), ao Convento dos Capuchos (20) e às Salgas Romanas de Cacilhas (21).

A música renascentista invade o Museu Covas de Pão (dia 20), a música de câmara o Convento dos Capuchos (20), e a música clássica presta homenagem às mulheres compositoras no Solar dos Zagallos (21).

Para os mais pequenos e suas famílias, a oficina “Brincar aos Músicos com pais e Bébes”, promete ser uma aventura musical. (21)

É necessário inscrição prévia em todos os eventos, o que pode faxzer através do email museus.comunica@cm-almada.pt 

Pode ver a programação completa desta efeméride aqui.

Um pouco de história:

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios foi instituído a 18 de Abril de 1982 pelo ICOMOS e aprovado pela Unesco no ano seguinte. A partir de então, esta data comemorativa tem vindo a oferecer a oportunidade de aumentar a consciência pública relativamente à diversidade do património e aos esforços necessários para o proteger e conservar, permitindo, ainda, chamar a atenção para a sua vulnerabilidade.

Representando um momento anual de celebração da diversidade patrimonial, pretende-se que o dia 18 de Abril funcione como um marco comemorativo do Património Cultural Nacional, mas que celebre, igualmente, a solidariedade internacional em torno da salvaguarda e da valorização do Património Cultural de todo o mundo

O Património Cultural, I.P. é, a partir de 2024, a entidade responsável pela coordenação nacional das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios em Portugal, dando assim continuidade ao trabalho dos últimos anos, desenvolvido pela extinta Direção-Geral do Património Cultural (DGPC).

O tema “Catástrofes e conflitos à luz da Carta de Veneza” convida a refletir o Património Cultural partilhado que emana desta convenção internacional, no ano em que celebra 60 anos, e que papel ainda desempenha na actualidade.

A Carta de Veneza foi adoptada em 1964, duas décadas após a Segunda Guerra Mundial, numa época que prometia progresso e desenvolvimento económico ilimitados. Seis décadas depois, o mundo enfrenta uma emergência climática, um número crescente de catástrofes naturais e conflitos, que levam à destruição de locais culturais e à deslocação em massa de populações.

Testemunhos vivos de tradições seculares de um povo, os monumentos históricos são um património comum, que urge salvaguardar para as gerações futuras, com toda a riqueza da sua autenticidade. A Carta de Veneza, apresenta assim, os princípios internacionais orientadores da conservação e do restauro dos monumentos históricos, entendendo que “a conservação e restauro de monumentos visa salvaguardar tanto a obra de arte como o testemunho da história” (artigo 3.º).

Neste contexto, o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios constitui uma oportunidade de dar a conhecer este instrumento fundador, que está no centro da história e da identidade do ICOMOS, tão actual como há 60 anos.

, , , , , , , , , , , ,

Sofia Quintas

Directora e jornalista do Almada Online