Semana Europeia do Teste VIH Hepatites

Poderá fazer testes anónimos, confidenciais e gratuitos em vários locais do concelho de 21 a 30 de Novembro

Almada junta-se à Semana Europeia do Teste do VIH Hepatites e de 21 a 30 de Novembro estão disponíveis rastreios anónimos, confidenciais e gratuitos em vários locais do concelho.

Os testes ao VIH e às Hepatites podem ser realizados na Unidade Móvel de Saúde da CMA, nos dias 21 e 22 e entre 26 e 30 de Novembro, nos seguintes locais: 21 Rotunda do Centro Sul, Cova da Piedade; 22 Junta de Freguesia da Charneca da Caparica; 26 e 27 Praça S. João Baptista, Almada; 28 Praça da Liberdade, Costa da Caparica; 29 Bairro Branco (junto ao Minipreço), Caparica; 30 Estação de comboios da Fertagus, Pragal.

Nos dias 23, 24 e 25 de Novembro é ainda possível fazer o rastreio do VIH e das Hepatites no Centro Integrado de Respostas de Saúde e Sociais, situado na Rua Luís de Camões, n. º 14, no Laranjeiro.

©DR / A unidade móvel de saúde da CMA irá percorrer o concelho de 21 a 30 de Novembro

O lema da Semana Europeia do Teste VIH Hepatites é: Testar Tratar e Prevenir o VIH, as hepatites virais e as infecções sexualmente transmissíveis (IST). Esta campanha mobiliza organizações, a sociedade civil e instituições de saúde pública em toda a Europa a unirem-se duas vezes por ano, em Maio e Novembro, para reforçar o rastreio e promover os benefícios da prevenção. Portugal junta-se à iniciativa desde 2013, e reforça mais um ano o rasteio do VIH, hepatites virais e outras IST. O objectivo passa por aumentar o número de testes realizados, mas também por divulgar informação essencial para aumentar a literacia em saúde.

O rastreio direccionado a grupos mais vulneráveis, no contexto da prevenção combinada, é um serviço prioritário. 

Em Portugal, as organizações membro da Rede de Rastreio Comunitária e associações, municípios, juntas de freguesia, juntam-se e apelam para a importância da oferta e acessibilidade destes serviços e a remoção de qualquer barreira no acesso aos cuidados de saúde. 

Ainda permanecem lacunas no diagnóstico destas infecções, o que compromete as estratégias internacionais de eliminação da infecção pelo VIH, hepatites virais e outras IST enquanto problema grave de saúde pública até 2030. O rastreio continua a ser uma das principais ferramentas para que se consiga alcançar os objectivos traçados pelas Nações Unidas.

, , , , , , , , , , , , ,

Sofia Quintas

Directora e jornalista do Almada Online